Skip to main content

Posts

Showing posts from December, 2011

Wish 2012: Tell him who much I love him

Não. Não vai passar de um desejo que vai preso numa passa esta noite. Desde que vi amor em ti que preciso amar-te para me sentir bem comigo mesma. Dizem que é um caprichinho, mais um deles né? Até ter que aceitar cá dentro que não era assim que eu ia ser feliz... ter que te partilhar ... em pessoa eu podia parecer aceitar, mas cá dentro não estava bem. Sei que sempre disse que estava bem e que isso não era problema mas, eu chorei.. eu chorei quando vi o que jamais poderia ver e preferia não ter visto! Nesses momentos podem ter morrido pedaços dentro de mim mas eu nem pensei em desistir :/ pode ter parecido às vezes, pode ter parecido por vezes que eu estava ausente e que o meu amor só era real aqui... mas, não era nada disso. Não posso aceitar que não foste meu por isso não vou acreditar nessa opção. Desculpa, tive medo que estivesse a acontecer tudo de novo.   Always yours...

Este blog começou em Junho... Mas , na verdade começou quando comecei a namorar contigo... Dentro do meu cor…

É verdade que vocês ficam tristes comigo quando o amor acaba...

Acabou muitas vezes ou pelo menos ficou adormecido né...  faz algum tempo que cá não venho... tenho andado por outros cantos... não senti falta de cá vir... também não sabia o que havia de dizer. Tem acontecido tantas coisas à minha volta nem sei. Sinto-me presa em qualquer coisa... Espero que o vosso natal tenha sido à vossa maneira e que estejam todos contentes... Entre muitas sms quando cheguei não vi aquela pela que procurava... não faz mal. Estou bem. Que remédio. Talvez não sejas mesmo o meu destino talvez esteja algo reservado para mim lá ao fundo. Não tenho coragem de ouvir um não assim ... estou demasiado em baixo agora... Ainda não revitalizei, deve ser normal. Talvez de todas a vezes que me falavas era por ti e não por nós.. por mim. Não era :( Tu não percebes que distância não implica estares ausente de mim, do meu coração mas não, tu não quiseste entender. Ficámos assim então. Não percebo agora mas o tempo vai passar por mim e levar isto tudo. Vai mesmo. Talvez forcei o …

Arde, queima, mas somos nós que vemos, nós que sentimos

Nasceste aqui dentro e sentia-te tal como o fogo do poema de amor (Luís Camões) , és como o fogo, consumiste o meu interior tal e qual ele consome a madeira, ardi por fora como a madeira que se foi destruindo até ficar num murmurinho, até desaparecer, até ser um montinho de cinzas num cantinho refugiado. Assim foste tu... Voltou a ser Inverno, y eu ansiosa pelo nosso novo presente.. perceber se vou voltar a ser fogo que arde , se volto a ter o teu corpo que acalme, voltou a ser Inverno, os nossos seres moldaram-se a outros ambientes, outros seres que não o um do outro... caso as cinzas não voltem a arder... será Inverno para sempre meu amor...

Se puderes voltar, se pudermos voltar...

É um sentimento que não pode ser verbalizado, é um sentimento em que o olhar diz tudo, em que o pulsar do coração nos denuncia. Impaciente, o meu coração pronuncia tudo o que jamais serei capaz de dizer. O meu corpo, frágil, singelo vá . Encaminham o teu toque às entranhas da minha alma. Quando nos abraçávamos sentia o teu amor ultrapassar-me as roupas... os poros, como é que é possível? O amor tem destas coisas, passa por caminhos desconhecidos, ultrapassa o inimaginável. Sinto falta de ti... e isso pode-se ler por aqui, pode notar-se nos meus olhos, pode ouvir-se de mim...E o que me recheava a alma foi esse amor, esse mesmo que me esvaziou, vazio que vem  .. não sei , mas faz-me não saber onde colocar os pés sem cair... como eu preciso desse folgo que me preenchia os pulmões... que me corria o corpo tal como o arrepio que me percorria, que hoje me corroí.